domingo, 1 de novembro de 2009

Samba e Amor. . .

foto:DeviantArt_moxsunlight


Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho muito sono de manhã
Escuto a correria da cidade que arde
E apressa o dia de amanhã
De madrugada a gente inda se ama
E a fábrica começa a buzinar
O trânsito contorna a nossa cama - reclama
Do nosso eterno espreguiçar
No colo da benvinda companheira
No corpo do bendito violão
Eu faço samba e amor a noite inteira
Não tenho a quem prestar satisfação
Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho muito mais o que fazer
Escuto a correria da cidade - que alarde
Será que é tão difícil amanhecer?
Não sei se preguiçoso ou se covarde
Debaixo do meu cobertor de lã

Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho sono de manhã

Chico Buarque

3 comentários:

Lílian Suellen disse...

amei, amei , amei! *__*

Vivendo na Eternidade disse...

A música como refúgio. Caetano sabe muito bem o significado disso para sua alma e, consequentemente, para a alma de todos nós.

Bela escolha.

Caso se interesse, encontramos um outro refúgio bem interessante.

Visite nosso mundo. A receberemos de braços abertos.

www.fantasiandoarealidade.blogspot.com

Grande abraço,

Alice/Carter

Gaby Soncini disse...

Amei essa letra *.*

Beijos!